31 de jan de 2012

Nosso Pai: Uma saudade muito alegre!



Ele era muito engraçado. Consultado sobre algum assunto, nunca dava sua opinião sem antes criar uma comparação com o problema em questão. Jevan e eu namoramos certa de três anos no maior sofrimento, escondidos, até que um dia nosso pai resolveu abrir mão e “aceitou” o namoro. Ficamos tão felizes que vendemos uma correntinha de ouro que eu tinha e compramos um par de alianças. Jevan foi falar com ele, oficializar o noivado. Quando voltou, eu fiquei muito triste, mas indecisa se não caberia também rir da resposta que ele deu. Veja só:

- Jevan, pense direitinho, continue estudando, vamos ver se você consegue um emprego. Não se precipite, deixe isso pra mais na frente. Quando chegar o tempo, eu mesmo ajudo a você com esse casamento. Olhe, se vocês resolverem casar agora vai acontecer igual a um peão domando um cavalo “brabo”. Todos ajudam, até ver o peão em cima do cavalo. Então, cada um dá um cutucão no cavalo e corre pra longe. E o peão que faça sozinho o que puder antes da queda!

E haja comparação! Rsrsrs

2 comentários:

  1. Grande homem! Uma parábola! E ele tinha razão! Pensa! Os nossos pais eram mestres!
    Beijos da Genaura Tormin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc sempre presente, querida! O rapaz desse blog é meu irmão. Uma pessoa maravilhosa. bjo

      Excluir