14 de jun de 2009

A Empresa Sentimental

A Empresa Sentimental

Em alguns temas de minhas palestras ou textos nesta coluna, abordo um tema singular ao qual chamo de EMPRESA SENTIMENTAL. Mas na realidade o que é uma EMPRESA SENTIMENTAL e quais o seus atributos?
Bom, em primeiro lugar estou usando este termo para tentar descrever a empresa do próximo milênio e algumas atitudes para sobreviver neste mundo em constante ebulição e transformação. Falo em terceiro milênio, pois nos próximos anos deixaremos em imagens do passado uma revolução de novos conceitos de vida e atividades empresarias, iniciadas na década de setenta. Eram os tempos de Beatles, movimento hippie, entre outras manifestações políticas e sociais. Nascia nesta época o conceito de ALDEIA GLOBAL, ou simplesmente, da globalização, ou seja, um mundo sem fronteiras físicas, um mundo novo repleto de novas informações, assim como sonhou John Lennon na música Imagine.
Quando nos deparamos com a velocidade das transformações e degustamos avidamente novas informações, descobrimos que o mundo em que vivíamos mudou e que as empresas precisam se adaptar a estes novos conceitos.
Uma simples leitura através dos tempos nos leva a rever os conceitos de empresa para os próximos anos, e quando digo próximos, leia-se, talvez, no máximo em cinco anos. Sindicatos, patrões, empregados, trabalho semi-escravo, indústrias em plena produção, salário e banco de horas, deixam de ser palavras chaves do dia a dia das empresas, para serem substituídas por outras mais interessantes.
Na empresa sentimental estas palavras serão substituídas por ouvidores empresariais, parceiros de negócios, núcleos produtivos, trabalho agradável, trabalhando com humor, qualidade total, produção dedicada e desempenho aprimorado. Os empresários do próximo milênio deverão apresentar a sua empresa como uma extensão do seu lar, com seus confortos, com o desenvolvimento humano e social a pleno vapor. Muitas vezes, como já ocorre com alguma certa frequência em determinados países, aquele escritório bonito na Avenida Paulista irá para dentro da casa do indivíduo e com um outro endereço. Condomínio dos Ilustres, Rua dos Araçás, casa 903, Atibaia, Interior de São Paulo. Tudo em nome do bem estar do profissional polivalente, dedicado e amigo da empresa. Um indivíduo mais saudável e que rende muito mais.
Na Empresa Sentimental, o profissional do terceiro milênio irá usufruir benefícios jamais imaginados, tais como:
Café da manhã com diretores, gerentes e chefes das equipes
Creches lar
Departamento Social
Departamento de Humor
Dias de humor
Escola complementar para os filhos dos empregados
Ginástica na empresa antes do início das atividades
Horário flexível
Mais espaço para novas idéias
Momentos de lazer no decorrer do dia
Música ambiente
Novos cargos com características tecnológicas avançadas
Parque tecnológico avançado
Pausas para relaxamento
Programas de saúde
Ticket lazer
Treinamento sobre sobrevivência entre outras tendências.
A empresa sentimental será na verdade uma empresa super agradável, extremamente competitiva, saudável e com excelentes resultados financeiros, pois ela coloca o ser humano em primeiro lugar. Buscar satisfazer o seu cliente interno é o ponto primordial da empresa sentimental na conquista de novos nichos de mercados. É pura sobrevivência.
Alguns empresários deverão deixar de lado a frieza das paredes brancas ou chãos de fábricas sem vida e repensar normas e atitudes da sua empresa. Não dói nada lembrar que, mesmo com o parque tecnológico mais avançado do mundo, ainda será preciso o toque do ser humano para movimentar máquinas e equipamentos ao apertar um botão.
Para finalizar, apenas um recadinho. Muitos empresários tem visão. Poucos administração.
(Adonai Zanoni)

Trate sempre os seus funcionários exatamente como quer que eles tratem os seus melhores clientes (Stephen Covey).

Fortaleza (CE), 13.01.01
Luiz TARCISO Coelho Bezerra
garimpo@uol.com.br

Patativa do Assaré e Assaré do Patativa

Nasceu, viveu e cresceu
Naquela pequena cidade
Cantou o Sertão como seu
Com toda simplicidade
Até ganhou belo nome
Ainda em pequena idade
De Patativa do Assaré
Poeta de fé e sabedoria
Que com seu canto alegre
Tornava belo o quanto dizia

Já que foi para o Céu
Encontrar o Pai Criador
Deixou aqui seu cordel
Com alegria e amor
E sua pequena cidade
A qual tanto homenageou
De Assaré do Patativa
Seu novo nome ganhou
Prestigiando de forma afetiva
O Poeta que Deus lhe tirou

(08.07.2003-Um ano sem Patativa do Assaré).
Tarciso Coelho, julho/2003

Nenhum comentário:

Postar um comentário